Doctor's Search

Procedimentos Cirúrgicos

A Veterinária Vila Isabel, conta com profissionais capacitados para realização de procedimentos cirúrgicos desde tecido mole, ortopédicos e neurocirurgias. Dentre algumas das cirurgias de tecido mole podemos citar: esplenectomia, cistotomia, castrações, remoção de nódulos, stent de traqueia, correção de shunt hepático, by-pass de ureter, entre outras.
 
De um modo geral, oferecemos todo o suporte necessário de acordo com o sistema (órgão) acometido e que necessitará de intervenção cirúrgica. A cirurgia veterinária vem evoluindo bastante com o passar dos anos. Atualmente utilizamos técnicas com mínima invasão e pouca manipulação, e inclusive reconstrutivas, estabelecidas para que o paciente seja beneficiado.

 

ESPLENECTOMIA: trata-se da retirada do baço, onde temos como principais indicações cirúrgicas para tal feito neoplasias, torção, traumatismos graves e distúrbios hematológicos imunomediados. O pós cirúrgico inicial deve ser feito com o paciente internado para acompanhamento inicial, visto que normalmente antes do procedimento cirúrgico o paciente já apresenta alterações de hemograma. Posteriormente, o animal é liberado para casa e se faz o acompanhamento periódico com exames, ate estabilização total.

 

CISTOTOMIA: trata-se da abertura da vesicula urinária (bexiga), sendo um procedimento cirúrgico utilizado principalmente para a remoção de cálculos que se formam em animais que têm pré-disposição (hereditária, metabólica ou racial) para a formação de tais urólitos. Este procedimento pode ser realizado também para a remoção de tumores de bexiga e/ou coleta de tecido para biópsia. O pós cirúrgico inicial é feito com o paciente internado na clínica e posteriormente o acompanhamento se faz com o paciente retornando para exames, dependendo do caso ainda, se faz necessária a alteração da dieta do animal.

 

CASTRAÇÕES: castrar o nosso bichinho de estimação, muitas vezes, é uma ação necessária para obter múltiplos benefícios, tais como melhoras no comportamento, prevenção de doenças e melhor qualidade de vida. Como mencionado, a castração traz grandes benefícios, como a diminuição da agressividade do animal. Em cachorros adultos, por exemplo, contribui para que os machos sejam menos agressivos de um modo geral. Porém, esses níveis de agressividade variam segundo o organismo do paciente e a idade em que a castração é feita, sendo mais efetiva antes de um ano de idade. Já nas fêmeas vemos que a esterilização permite que esses animais vivam por mais tempo de forma saudável, pois ajuda a prevenir infecções uterinas e o câncer de mama, que apresenta uma taxa de mortalidade de aproximadamente 50% dos cachorros e em 90% dos gatos. De forma geral então, podemos definir que a maior vantagem da castração para nossos bichinhos é a prevenção de doenças como tumores prostáticos, mamários e uterinos.

 

STENT DE TRAQUEIA: tem indicação para pacientes que apresentam o colapso de traqueia, que trata-se de alterações tanto anatômicas como histológicas da cartilagem hialina dos anéis traqueais e do músculo traqueal dorsal, ocasionando colapso dinâmico da traqueia durante o ciclo respiratório. A etiologia do colapso de traqueia é desconhecida e provavelmente multifatorial. O esforço repetido das vias respiratórias causa inflamação crônica da mucosa traqueal, manifestando assim a tosse, que exacerba o processo inflamatório. O colapso de traqueia manifesta um sinal clínico importante chamado síndrome de angústia respiratória, além de tosse. Geralmente acomete cães de raça miniatura ou toy, sendo mais observado em cães de idade média, ou idosos. A intervenção cirúrgica objetiva estabilizar a cartilagem da traqueia e o músculo traqueal. O avanço da tecnologia possibilitou o desenvolvimento de próteses (stents) de materiais diversos. A finalidade do uso do stent é manter o suporte cartilaginoso, eventualmente perdido pela via aérea. Além de tudo, trata-se de um procedimento minimamente invasivo, não há cortes cirúrgicos e a recuperação é em 24 horas.

 

CORREÇÃO DE SHUNT HEPÁTICO: trata-se do desvio portossitêmico congênito sendo a anormalidade congênita mais comum do sistema hepatobiliar dos cães e consiste em qualquer anormalidade vascular hepática que permite o desvio do sangue da circulação porta do fígado para a circulação sistêmica, levando a uma grande variedade de manifestações clínicas, sendo a encefalopatia hepática a mais comum. As comunicações vasculares que levam o sangue da circulação porta para a sistêmica, desviando o fígado no processo, podem conectar a circulação porta à veia cava caudal, veia azigus e veias renais. Existem evidências do caráter genético e hereditário, entretanto não há recomendações consistentes que impeçam a reprodução desses animais. O desvio portossistêmico extra hepático está mais associado a cães de raça pequenas, como maltês, lhasa apso, schnauzers miniaturas, yorkshire, e o intra hepático tipicamente associados a raças médias a grandes. Fazemos a correção deste quadro colocando um anel chamado constritor ameróide que é de caseína desidratado e comprimido, cercado por um aro de metal, essa caseína vai se reidratando e dilatando aos poucos, assim fechando a veia do desvio.

 

BYPASS DE URETER: uma das principais causas desta cirurgia é a obstrução ureteral por nefrolitíase (cálculos) que ocorre ocasionalmente no gato e parece ter incidência crescente na população felina. O seu diagnóstico é feito com base nos sinais clínicos, análises bioquímicas, com destaque para a medição de ureia e creatinina, e recorrendo a meios complementares de diagnóstico como a radiografia e a ecografia. Para o seu tratamento, pode-se recorrer numa primeira abordagem a uma terapêutica médica, no entanto, esta é muitas vezes ineficaz, e geralmente há necessidade de intervir cirurgicamente. Tradicionalmente a nefrolitíase tem sido resolvida através de técnicas com elevado grau de complicações, tais como a ureteronefrectomia, nefrotomia, pielolitotomia, ureterotomia, ureteroneocistostomia e o transplante renal. Contudo, técnicas inovadoras e menos invasivas têm surgido. Entre elas, está o bypass ureteral subcutâneo, uma técnica recentemente introduzida no Brasil. A Veterinária Vila Isabel conta com profissionais capacitados para a realização desta técnica, que tem por característica basicamente ligar o rim diretamente à bexiga por meio de um cateter, sem mais necessitar do ureter afetado.